quarta-feira, 27 de outubro de 2010

A situação dos estádios para a Copa de 2014

Alessandro da Mata
Publicada em 27/10/2010 às 07:05
São Paulo

Confira como estão os andamentos das obras nas 12 sedes brasileiras


SÃO PAULO
Estádio: A definir.
A Fifa, sob influência da CBF, vetou o Morumbi. Os governos estadual e municipal chegaram a anunciar a arena do Corinthians, a ser construída em Itaquera, como o palco da abertura da Copa do Mundo 2014. Contudo, o clube tem por ora um acordo de R$ 335 milhões com a Odebrecht, para um estádio de apenas 48 mil lugares. A ampliação, para 65 mil lugares, depende de novo aporte financeiro.


RIO DE JANEIRO
Estádio: Maracanã.
O BNDES acabou de liberar R$ 400 milhões para a reconstrução de parte do estádio, que custará ao final cerca de R$ 705 milhões. As cadeiras do anel inferior foram retiradas, e começa agora a demolição das arquibancadas inferiores. Além da correção das curvas de visibilidade, o principal estádio que passará de 83 mil para 76 mil lugares – todos cobertos e numerados.


BELO HORIZONTE
Estádio: Mineirão
Após passar por reforço estrutural no primeiro semestre, o estádio foi fechado para obras. O gramado está sendo retirado para o rebaixamento em 3,5 metros. O governo estadual fará o investimento de R$ 665 milhões no total, para remodelar o estádio, com apoio do BNDES. Sua capacidade será de 69 mil lugares, o que o habilita à briga pelo jogo de abertura da Copa.


CURITIBA
Estádio: Arena da Baixada
Contou ontem com a aprovação da Lei de Potencial Construtiva na Câmara de Vereadores. Isso permitirá ao Atlético-PR receber R$ 90 milhões para as obras, além das isenções fiscais dos materiais de construção. O investimento será de R$ 120 milhões no total. A ampliação das arquibancadas, para 41 mil lugares, deve começar no início do ano que vem.


NATAL
Estádio: Arena das Dunas
Um dos mais atrasados. Recebeu 19 propostas de construtoras, mas o prazo vai até 4 de novembro, conforme edital de licitação. A demolição do estádio Machadão e do ginásio Machadinho deve começar no início do ano que vem. A nova arena será viabilizada por meio de uma parceria público-privada (PPP) e está orçada em R$ 400 milhões.


MANAUS
Estádio: Arena Amazônia
A Controladoria Geral da União (CGU) identificou sobrepreço em materiais de construção e o empréstimo do BNDES está suspenso. As obras começaram em maio, com recursos do estado, e as arquibancadas do antigo Vivaldão já foram demolidas. A arena custará cerca de R$ 498 milhões e terá capacidade para 47 mil pessoas.


SALVADOR
Estádio: Fonte Nova
Em setembro foram liberados R$ 323 milhões pelo BNDES. A demolição das arquibancadas já ocorreu. Agora se trabalha nas fundações. As construtoras OAS e Odebrecht terão à disposição cerca de R$ 650 milhões. O Estado se candidatou à abertura da Copa, apesar de o estádio estar sendo preparado para 50 mil lugares.


BRASÍLIA
Estádio: Mané Garricha
Vive situação crítica. O governo iniciou o processo de desmonte e demolição em maio, após o Tribunal de Contas distrital liberar o edital, mas este foi suspenso por suspeita de sobrepreço. O estádio concorre à abertura da Copa e é o segundo mais caro: R$ 696 milhões. O Ministério Público exige a redução da capacidade de 72 mil para 30 mil pessoas.


CUIABÁ
Estádio: Verdão
Após o desmonte e demolição das arquibancadas, as obras seguem para a compactação do solo e afase de fundações. Custará R$ 342 milhões aos cofres estaduais e será construído pelo consórcio Santa Bárbara/Mendes Júnior. Deverá receber 42,5 mil pessoas, com arquibancadas modulares, que serão retiradas após a Copa-14.


FORTALEZA
Estádio: Castelão
Licitação suspensa atrasa as obras no estádio, que dá adeus à Copa das Conferedações. O BNDES liberou em setembro R$ 351,5 milhões para a reforma do estádio, orçado em R$ 452,2 milhões. O contrato tem o modelo de parceria público-privada. O consórcio de construtoras vencedor irá construir e operar o Castelão por oito anos.


RECIFE
Estádio: Arena Pernambuco
Mesmo com a liberação em julho da licença ambiental, as obras da Arena Pernambuco não começaram. A concessionária Odebrecht/ISG/AEG finaliza uma pesquisa arqueológica no terreno, enquanto o governo tenta retirar os últimos posseiros da região. A construção está orçada em R$ 532 milhões e arena terá 46 mil lugares. Parte dos recursos será obtido via financiamento do BNDES.


PORTO ALEGRE
Estádio: Beira-Rio
Vive um impasse. A Fifa exige o rebaixamento do gramado, mas o Internacional considera o custo alto. A obra está orçada em R$ 130 milhões, mas pode chegar com o novo pedido a R$ 270 milhões. O clube será beneficiado com isenções nos materiais de construção e iniciou as obras pela cobertura do estádio. A capacidade para a Copa-14 será de 60 mil lugares.

Fonte: LANCE! NET

CNT/Sensus: Dilma lidera com 51,9% e Serra tem 36,7%


Por LEONARDO GOY, estadao.com.br

A candidata do PT à Presidência da República, Dilma Rousseff, tem 51,9% das intenções de voto, ante 36,7% de seu adversário, o tucano José Serra, segundo pesquisa CNT/Sensus divulgada nesta manhã. A vantagem de Dilma para Serra aumentou de cinco pontos porcentuais da pesquisa anterior, na semana passada, para 15,2 pontos agora. No levantamento anterior, Dilma tinha 46,8% e Serra, 41,8%.

Ao se considerar somente os votos válidos - o que exclui nulos e brancos e se redistribui os indecisos proporcionalmente, Dilma tem 58,6% e Serra, 41,4%. A rejeição à candidata petista caiu de 35,2% da pesquisa anterior para 32,5%. Já a rejeição a Serra subiu de 39,8% para 43%.

O levantamento, com margem de erro de 2,2 pontos porcentuais, foi feito com dois mil eleitores, entre os dias 23 e 25 de outubro, em 136 municípios e foi registrado no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o número 37609/2010.

terça-feira, 26 de outubro de 2010

Senador Romeu Tuma morre aos 79 anos em SP

Do UOL Notícias*
Em São Paulo


Em foto de 1986, o então delegado Romeu Tuma fala sobre um de seus principais trabalhos policiais: a descoberta da ossada de um dos mais procurados criminosos de guerra da Alemanha nazista, o médico Joseph Mengele

O senador Romeu Tuma (PTB) morreu às 13h desta terça (26) no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, por falência múltipla dos órgãos. O corpo dele vai ser levado para a Assembleia Legislativa de São Paulo por volta de 18h, onde será velado.
Paulista de ascendência síria, Tuma tinha 79 anos e estava internado na UTI do hospital desde o começo de setembro, para tratar de um quadro de insuficiência renal e respiratória. Ele, que sofria de diabetes e problemas cardíacos, permanecia ligado a aparelhos de diálise e de respiração artificial. No último dia 2, ele havia sido submetido a uma cirurgia cardíaca, para colocação de um dispositivo de assistência ventricular que auxilia o coração, chamado Berlin Heart. Desde então, seguia internado.

Nas últimas eleições, ele concorreu pela terceira vez ao Senado pelo PTB, mas desde o início da campanha a vitória era tida como improvável por conta da fragilidade de sua saúde. Ficaram com as vagas Aloysio Nunes (PSDB) e Marta Suplicy (PT). Tuma ficou em quinto lugar e obteve 3,9 milhões de votos (10,79%).

Antes de chegar ao PTB, militou pelo Democratas. Quando a legenda se chamava PFL, foi relator do processo de expulsão do então deputado federal Hildebrando Pascoal, acusado de serrar opositores. Também com parecer de Tuma, o partido expulsou o deputado estadual capixaba Carlos Gratz, por envolvimento com o crime organizado.

Tuma na política

A vida de Tuma na política foi consequência de sua carreira como policial. Formado em Direito pela PUC-SP, foi investigador, delegado e diretor de polícia especializada na Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo. Em 1983, assumiu a Superintendência da Polícia Federal paulista e em seguida se tornou diretor-geral da PF, onde ficou até 1992.

Ainda nesse posto, acumulou os cargos de Secretário da Polícia Federal e Secretário da Receita Federal, quando instituiu a recepção de declarações do Imposto de Renda por meio digital. Também foi assessor especial no governo de São Paulo, na gestão de Luiz Antônio Fleury Filho.

Em 1995, assumiu mandato de senador pela primeira vez, eleito junto do hoje presidenciável José Serra (PSDB). Reelegeu-se em 2002 para atuar até 2011. No Congresso Nacional, foi eleito corregedor do Senado, cargo criado em 2006 e ocupado apenas por ele até hoje.

Entre seus principais trabalhos policiais, que o levariam a cargos políticos, estão a descoberta de ossadas de um dos mais procurados criminosos de guerra da Alemanha nazista, o médico Joseph Mengele, e a captura do mafioso italiano Thomazzo Buscheta, cujas confissões abalaram o crime nos EUA e na Itália.

Tuma também ficou conhecido por ter sido um dos policiais mais atuantes durante os anos do regime militar (1964-85), o que lhe rendeu o apelido de "xerife" e suspeitas de ligações com a ditadura.

Entre 1977 e 1983, foi diretor-geral do Dops (Departamento de Ordem Política e Social), órgão que ficou marcado por controlar e reprimir com rigor movimentos políticos e sociais contrários ao regime. Por conta disso, foi alvo de um ação civil pública movida pelo Ministério Público Federal de São Paulo contra civis que tiveram participação em fatos da repressão na ditadura militar. Ele foi acusado de participar do funcionamento da estrutura que ocultou cadáveres de opositores do regime nos cemitérios de Perus e da Vila Formosa, em São Paulo, na década de 70.

Em maio deste ano, juiz Ali Mazloum, da 7ª Vara Federal de São Paulo, entendeu que Tuma sabia da ocultação do corpo de Flávio Carvalho Molina, militante de esquerda preso pelo DOI-Codi, órgão repressor da ditadura militar. A decisão do juiz contraria parecer do MPF que recomendou o arquivamento da ação.

Casado com a professora Zilda Dirane Tuma, teve quatro filhos e nove netos. Dos filhos, Robson teve quatro mandatos de deputado federal, Romeu Tuma Júnior foi secretário nacional de Justiça, mas acabou exonerado em meio a um escândalo, Rogério é médico neurologista e oncologista e cuidou do pai durante a internação no Sírio-Libanês, e Ronaldo é cirurgião dentista com especialização em identificação criminal.

* Com informações da Agência Senado.

VEJA A REPERCUSSÃO DA MORTE DE TUMA NO SENADO

"Perco um grande amigo", diz presidente do Senado sobre Tuma; veja repercussão

A senadora Serys Slhessarenko (PT-MT), que responde atualmente pela presidência do Senado, lamentou a morte do colega, o senador Romeu Tuma (PTB-SP), na tarde desta terça-feira (26). "Era um amigo por quem eu tinha grande admiração e respeito", disse.

Tuma morreu às 13h no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, decorrente de uma hemorragia. Ele tinha 79 anos e estava internado na UTI desde o começo de setembro, para tratar de um quadro de insuficiência renal e respiratória. Como sofria de diabetes e problemas cardíacos, permanecia ligado a aparelhos de diálise e de respiração artificial. No último dia 2, foi submetido a uma cirurgia cardíaca, para colocação de um dispositivo de assistência ventricular que auxilia o coração, chamado Berlin Heart. Desde então, seguia internado. O corpo de Tuma será velado na Assembleia Legislativa de São Paulo.

"Na condição de amigo e parlamentar, ele significou muito. Só tenho a lamentar esta grande perda. Foi uma perda para o Brasil, uma perda para São Paulo, uma perda para todos nós. Ele deu grandes contribuições ao Parlamento, como um grande senador, de personalidade forte e determinada", afirmou Slhessarenko.

Veja a repercussão no Senado:

O senador Demóstenes Torres (DEM-GO) afirmou no microblog Twitter que durante os oito anos que esteve no Senado teve uma relação "de muita proximidade e respeito" com o senador do PTB. "O Brasil perdeu um de seus maiores líderes", disse. "Tuma era um exemplo de honradez e dignidade na política. Como corregedor do Senado manteve postura firme no cumprimento da lei".

Torres também ressaltou que Tuma era um dos maiores especialistas em direito penal do Brasil e um grande conhecedor da segurança pública. "O senador Tuma vai fazer falta ao cenário político brasileiro, mas com certeza tem o seu nome inscrito nas posições mais altas da República", disse.

O colega petista Delcídio do Amaral (MT) também demonstrou solidariedade. "Triste com a perda do amigo, companheiro e conciliador, o senador Romeu Tuma. O Senado e o Brasil perdem uma grande figura humana", escreveu.

Outro que mandou pêsames à família do senador foi o colega Arthur Virgílio (PSDB-AM). "Saúde a memória de Tuma. Um grande brasileiro. Vá em paz, querido amigo", escreveu. "Tuma, homem da segurança, delegado da Polícia Federal, corregedor do Senado, jamais deixou a firmeza ofuscar a ternura".

Já o senador Cristovam Buarque (PDT-DF) destacou que "Tuma era o mais cordial dos senadores desta legislatura".

Mais repercussão:

O candidato do PSDB à Presidência da República, José Serra, disse que lamenta muito a morte do político. "Fui colega dele no Senado. Um homem sereno, que foi duas vezes senador por São Paulo. Quero, neste momento, mandar meu abraço a seus familiares, sua esposa, irmãos e filhos. Éramos amigos pessoais. Além de um político importante, eu perco um amigo também", afirmou.

O partido de Serra também emitiu nota de tristeza e pesar sobre o "estimado amigo e senador Romeu Tuma".

"Excepcional homem público, competente, íntegro e com uma extensa folha de serviços prestados, Tuma deixará, além de sua história, muita saudade. Aos familiares e inúmeros amigos que colecionou em vida, nossos mais sinceros votos de força e solidariedade", escreveu Antonio Carlos Mendes Thame, presidente do PSDB de São Paulo, na nota.

Dilma e Serra lembram escândalos e se acusam de mentir em debate

Carlos Bencke e Maurício Savarese
Do UOL Eleições
Em São Paulo



O debate da TV Record com os presidenciáveis, Dilma Rousseff (PT) e José Serra (PSDB), foi marcado pela denúncias de corrupção que envolveram antigos assessores da ex-ministra da Casa Civil e do ex-governador de São Paulo. Em outro momento do encontro, a petista acusou o tucano de agredi-la pessoalmente e de mentir. O segundo colocado nas pesquisas disse que a rival é uma "profissional nessa arte [dizer inverdades]". O evento desta segunda-feira (25) é o penúltimo da disputa.
Os candidatos centraram seus comentários mais duros, logo no primeiro bloco, na ex-ministra Erenice Guerra e em Paulo Vieira de Souza, conhecido como Paulo Preto,que trabalhou na Dersa, a empresa de estradas paulista.

Erenice é acusada de ter feito tráfico de influência na Casa Civil e de ter admitido seu filho, Israel, e amigos dele na pasta. O ex-diretor da Dersa é suspeito de ter arrecadado ilegalmente R$ 4 milhões que seriam destinados a campanhas tucanas. Ambos os personagens apareceram nos programas de Dilma e de Serra no horário eleitoral obrigatório.

Atrás nas pesquisas, Serra trouxe para o debate as acusações de tráfico de influência na Casa Civil durante o período em que Erenice, ex-assessora de Dilma, esteve à frente da pasta. Para o tucano, a adversária levanta acusações contra ele para que os eleitores tenham a impressão de que os candidatos são iguais. “Foi ela que teve como braço direito uma mulher que montou um esquema amplo de corrupção”, disse.

Dilma respondeu lembrando que Erenice deu depoimento à Polícia Federal poucas horas atrás. “E que dizer do Paulo Preto que não depõe?”, questionou ela, citando o ex-diretor da empresa de estradas paulistas, a Dersa. “O candidato Serra quando está pressionado, usa essa história de trololó. [Paulo Preto] é braço direito, esquerdo e se duvidar é a cabeça também”, disse a líder nas pesquisas.

“Logo que ele chegou na Dersa, mudou os termos de um contrato. A parte sul do Rodoanel de São Paulo teve três vigas que caíram e um dos motivos levantados é material de baixa qualidade”, afirmou ela. “Nunca viga cair e ser um exemplo de gestão primorosa do candidato Serra”, disse, em referência a um incidente ocorrido na obra que foi vitrine do tucano no governo de São Paulo.

Serra chamou as acusações de Dilma de “rosário de mentiras”. “Vocês inventaram uma coisa de que teria havido uma contribuição para a campanha que eu não teria recebido e que ele teria recebido. Ele está citado numa operação que a Policia Federal fez e está investigando. Quem tem de investigar é a Polícia Federal”, disse o tucano. “A Dilma está enrolada nessa história toda e aí fica procurando pretexto para atacar os outros.”



Agressão pessoal e mentira

No segundo bloco do debate, Dilma acusou o adversário de agredi-la pessoalmente. A petista fez o comentário após Serra dizer que ela era uma “profissional nessa arte [de mentir]”. “O nível de agressão pessoal é muito alto por parte do candidato”, disse Dilma.

O novo embate ocorreu enquanto os candidatos discutiam a Petrobras. Dilma afirmou que Serra, durante o governo Fernando Henrique Cardoso, pretendia mudar o nome da empresa para Petrobrax e privatiza-la. “Ela inventa, fabula porque não tem como me atingir na administração pública”, afirmou o segundo colocado nas pesquisas.

Logo no início do bloco, Serra disse que não entendia como Dilma podia acusá-lo de ser privatista enquanto a própria candidata havia entregado a “exploração do petróleo para 108 empresas privadas”. A petista se defendeu dizendo que as regras eram diferentes antes da descoberta do pré-sal.

“Tínhamos uma regra que o senhor Serra e o senhor FHC haviam criado que valia para o petróleo de baixa qualidade”, disse. E completou: “Quando descobrimos esse bilhete premiado [o pré-sal] nós mudamos as regras”. Segundo Dilma, Serra tenta “fazer essa confusão entre o petróleo que existia antes e o pré-sal" para "deliberadamente esconder a realidade”.

Fonte: FOLHA.com

Fifa indica três brasileiros à Bola de Ouro; Espanha domina a lista


Seleção da Espanha campeã mundial tem sete indicados à Bola de Ouro

Do UOL Esporte
Em São Paulo

Foi divulgada nesta terça-feira em Zurique a lista dos 23 finalistas do troféu Bola de Ouro da Fifa, destinado ao melhor jogador do mundo. Três brasileiros foram lembrados: o goleiro Julio Cesar e os laterais Daniel Alves e Maicon. A Espanha é o país com o maior número de indicados, com sete integrantes da seleção campeã mundial.
Xavi, David Villa, Xabi Alonso, Iker Casillas, Carles Puyol, Andres Iniesta e Cesc Fabregas são os espanhóis candidatos ao prêmio de melhor do mundo. Também estão na disputa o português Cristiano Ronaldo, o uruguaio Diego Forlán e os holandeses Wesley Sneijder e Arjen Robben.

O único argentino da lista é Lionel Messi. A Alemanha contou com cinco representantes, e só perde para a Espanha em número de indicados: Miroslav Klose, Philipp Lahm, Thomas Müller, Mesut Özil e Bastian Schweinsteiger.

Para completar, a África tem três jogadores na disputa. Além do marfinense Didier Drogba, o ganense Asamoah Gyan e o camaronês Samuel Eto’o estão entre os indicados. Neste ano, a Fifa unificou o seu prêmio com a Bola de Ouro da revista France Football, e os vencedores serão conhecidos em cerimônia de gala no dia 10 de janeiro de 2011.


Quatro vezes eleita a melhor jogadora do mundo, Marta está na disputa do prêmio pela sexta vez

Entre as mulheres, a brasileira Marta, quatro vezes eleita a melhor do mundo, foi novamente indicada ao prêmio. Ela vai concorrer com Camille Abily (FRA), Fatmire Bajramaj (ALE), So Yun Ji (CDS), Birgit Prinz (ALE), Caroline Seger (SEE), Christine Sinclair (CAN), Kelly Smith (ING), Hope Solo (EUA) e Abby Wambach (EUA).

Haverá ainda a premiação para os treinadores, que não teve nenhum brasileiro indicado. Concorrem ao prêmio Carlo Ancelotti (ITA), Vicente del Bosque (ESP), Alex Ferguson (ESC), Pep Guardiola (ESP), Joachim Löw (ALE), José Mourinho (POR), Oscar Tabárez (URU), Louis Van Gaal (HOL), Bert Van Marwijk (HOL) e Arsene Wenger (FRA)

Resultado de licitação do metrô de São Paulo já era conhecido seis meses antes

RICARDO FELTRIN
DE SÃO PAULO

A Folha soube seis meses antes da divulgação do resultado quem seriam os vencedores da licitação para concorrência dos lotes de 3 a 8 da linha 5 (Lilás) do metrô.

O resultado só foi divulgado na última quinta-feira, mas o jornal já havia registrado o nome dos ganhadores em vídeo e em cartório nos dias 20 e 23 de abril deste ano, respectivamente.
A licitação foi aberta em outubro de 2008, quando o governador de São Paulo era José Serra (PSDB) --ele deixou o cargo no início de abril deste ano para disputar a Presidência da República. Em seu lugar ficou seu vice, o tucano Alberto Goldman.

O resultado da licitação foi conhecido previamente pela Folha apesar de o Metrô ter suspendido o processo em abril e mandado todas as empresas refazerem suas propostas. A suspensão do processo licitatório ocorreu três dias depois do registro dos vencedores em cartório.

O Metrô, estatal do governo paulista, afirma que vai investigar o caso. Os consórcios também negam irregularidades ou "acertos".

O valor dos lotes de 2 a 8 passa de R$ 4 bilhões. A linha 5 do metrô irá do Largo 13 à Chácara Klabin, num total de 20 km de trilhos, e será conectada com as linhas 1 (Azul) e 2 (Verde), além do corredor São Paulo-Diadema da EMTU.

VÍDEO E CARTÓRIO

A Folha obteve os resultados da licitação no dia 20 de abril, quando gravou um vídeo anunciando o nome dos vencedores.
Três dias depois, em 23 de abril, a reportagem também registrou no 2º Cartório de Notas, em SP, o nome dos consórcios que venceriam o restante da licitação e com qual lote cada um ficaria.

O documento em cartório informa o nome das vencedoras dos lotes 3, 4, 5, 6, 7 e 8. Também acabou por acertar o nome do vencedor do lote 2, o consórcio Galvão/ Serveng, cuja proposta acabaria sendo rejeitada em 26 abril. A seguir, o Metrô decidiu que não só a Galvão/Serveng, mas todas as empresas (17 consórcios) que estavam na concorrência deveriam refazer suas propostas.

A justificativa do Metrô para a medida, publicada em seu site oficial, informava que a rejeição se devia à necessidade de "reformulação dos preços dentro das condições originais de licitação".

Em maio e junho as empreiteiras prepararam novas propostas para a licitação. Elas foram novamente entregues em julho.

No dia 24 de agosto, a direção do Metrô publicou no "Diário Oficial" um novo edital anunciando o nome das empreiteiras qualificadas a concorrer às obras, tendo discriminado quais poderiam concorrer a quais lotes.

Na quarta-feira passada, dia 20, Goldman assinou, em cerimônia oficial, a continuidade das obras da linha 5. O nome das vencedoras foi divulgado pelo Metrô na última quinta-feira. Eram exatamente os mesmos antecipados pela reportagem.

OBRA DE R$ 4 BI

Os sete lotes da linha 5-Lilás custarão ao Estado, no total, R$ 4,04 bilhões. As linhas 3 e 7 consumirão a maior parte desse valor.

Pelo edital, apenas as chamadas "quatro grandes" Camargo Corrêa/Andrade Gutierrez e Metropolitano (Odebrecht/ OAS/Queiroz Galvão) estavam habilitadas a concorrer a esses dois lotes, porque somente elas possuem um equipamento específico e necessário (shield). Esses dois lotes somados consumirão um total de R$ 2,28 bilhões.

OUTRO LADO

Em nota, o Metrô de São Paulo informou que vai investigar as informações publicadas hoje na Folha.

A companhia disse ainda que vai investigar todo o processo de licitação.

"É reconhecida a postura idônea que o Metrô adota em processos licitatórios, além da grande expertise na elaboração e condução desses tipos de processo. A responsabilidade do Metrô, enquanto empresa pública, é garantir o menor preço e a qualidade técnica exigida pela complexidade da obra."

Ainda de acordo com a estatal, para participação de suas licitações, as empresas precisam "atender aos rígidos requisitos técnicos e de qualidade" impostos por ela.

No caso da classificação das empresas nos lotes 3 e 7, era necessário o uso "Shield, recurso e qualificação que poucas empresas no país têm". "Os vencedores dos lotes foram conhecidos somente quando as propostas foram abertas em sessão pública. Licitações desse porte tradicionalmente acirram a competitividade entre as empresas", diz trecho da nota.

O Metrô afirmou ainda que, "coerente com sua postura transparente e com a segurança de ter conduzido um processo licitatório de maneira correta, informou todos os vencedores dos lotes e os respectivos valores".

Disse seguir "fielmente a lei 8.666" e que "os vencedores dos lotes foram anunciados na sessão pública de abertura de propostas". "Esse procedimento dispensa, conforme consta da lei, a publicação no 'Diário Oficial'".

Todos os consórcios foram procurados, mas só dois deles responderam ao jornal.

O Consórcio Andrade Gutierrez/Camargo Corrêa, vencedor da disputa para construção do lote 3, diz que "tomou conhecimento do resultado da licitação em 24 de setembro de 2010, quando os ganhadores foram divulgados em sessão pública".

O consórcio Odebrecht/ OAS/Queiroz Galvão, vencedor do lote 7, disse que, dessa licitação, "só dois trechos poderiam ser executados com a máquina conhecida como 'tatu' e apenas dois consórcios estavam qualificados para usar o equipamento".

"Uma vez que nenhum consórcio poderia conquistar mais que um lote, a probabilidade de cada consórcio ficar responsável por um dos lotes era grande", diz.
O consórcio Odebrecht/ OAS/Queiroz Galvão diz ter concentrado seu foco no lote 7 para aproveitar "o equipamento da Linha 4, reduzindo o investimento inicial".

Editoria de Arte/Folhapress

Fonte: FOLHA.com

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Chuva no sertão anima agricultores

FOTO LAURO AMÉRICO REZENDE

Uma frente fria oriunda da Argentina, que derrubou as temperaturas no Sul e Sudeste e conseguiu chegar até o norte do Nordeste, foi a responsável pela chuvas no interior do Rio Grande do Norte. A explicação é da Emparn, que prevê novas precipitações para este sábado no Seridó, Oeste e Vale do Açu.

De acordo com o meteorologista Gilmar Bristot, a combinação de frente fria com a umidade que vem do oceano Atlântico modificou as condições climáticas nessas regiões. “Estamos sob atuação do fenômeno La Nina e isso sinaliza com chuvas no Nordeste e seca do Sul’, disse o meteorologista.

De acordo com relato de blogueiros, de quinta para sexta-feira choveu em Currais Novos, Acari, São João do Sabugi, Cruzeta, São José do Seridó, Serra Negra do Norte, Caicó, Jardim de Piranhas, Timbaúba dos Batistas, São Fernando. As chuvas foram de pequena intensidade, mas vieram acompanhadas de relâmpagos e trovões.

Também há informações de chuvas em municípios do Vale do Açu e da região Central. Em Santana do Matos, onde o inverno de 2010 foi o mais irregular dos últimos tempos, (com chuvas de 500 milímetros na área de Serra Branca, e de 123 mm no distrito São José da Passagem), agricultores de Serra do Gado, Riacho Fechado e Macaco estão queimando xiquexique para salvar o rebanho bovino.

As chuvas, alerta Gilmar, não configuram a chegada do inverno no sertão nordestino, mas são uma boa sinalização do que pode acontecer em 2011. Ele acha que a temporada da pré-estação pode ser melhor que o previsto pelo Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos (CPTEC), órgão ligado ao Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais. “Poderemos ter um janeiro acima da média história’, disse Bristot.

Este ano o inverno ficou abaixo da média no Rio Grande do Norte. Em Caicó, os pluviômetros variaram de 764 milímetros, na sede da Emater, a apenas 200 mm no distrito da Palma. Em Riachuelo foram apenas 107.2 mm, o menor índice dos últimos anos.

A escassez de chuvas provocou perdas de 73% na safra agrícola, segundo o último boletim do IBGE.

No Seridó, os reservatórios que abastecem as cidades estão chegando a um nível preocupante. Mas a Barragem Armando Ribeiro Gonçalves, maior reservatório do Estado, está com 70% de um total de 2,4 bilhões de metros cúbicos.

Emergência em cidades da Amazônia

Brasília (ABr) - Trinta e oito dos 62 municípios do estado do Amazonas decretaram estado de emergência devido à longa estiagem que atinge a região. Representantes do Subcomando de Ações da Defesa Civil do estado tem visitado os locais atingidos para levar ajuda humanitária. Até o momento, cerca de 38 mil famílias receberam assistência, totalizando 600 toneladas de alimentos, medicamentos e kits de higiene distribuídos pela Força Aérea Brasileira.

Para facilitar a distribuição dos recursos, o trabalho é feito por meio de três polos localizados em Tabatinga, em Cruzeiro do Sul, no Acre, e em Tefé. Os polos são responsáveis pela distribuição de cestas básicas e kit’s de higiene e de remédios aos municípios atingidos.

Nessa primeira etapa da operação, cerca de 19 municípios foram atendidos. As ações incluem ainda o transporte de água aos municípios por meio de carros-pipa, em parceria com o Ministério da Defesa (Exército Brasileiro).

Além disso, o governo disponibiliza recursos financeiros para que o estado ou município possa adotar medidas como adquirir cestas básicas, fazer a locação de equipamentos, abertura de poços e aquisição de filtros purificadores.

Fonte: TRIBUNA DO NORTE

Faltam seis dias para o segundo turno das Eleições 2010: confira a ordem de votação


No próximo domingo (31), 135.804.433 brasileiros devem voltar às urnas para escolher, em segundo turno, o presidente da República. Além do presidente, os votantes do Distrito Federal e de mais oito estados – Alagoas, Amapá, Goiás, Pará, Paraíba, Piauí, Rondônia e Roraima vão escolher também o novo governador. Na votação nesses locais, que envolve 19.476.363 votantes, os eleitores escolhem primeiro o candidato a governador e, depois, o candidato a presidente da República.

Presidência
Concorrem à Presidência nesse segundo turno os candidatos José Serra (PSDB) e Dilma Rousseff (PT). No primeiro turno, Serra obteve 32,61% dos votos (33.132.283) enquanto a candidata do PT conquistou 46,91% do eleitorado (47.651.434).

Confira, por estado, o eleitorado e os candidatos que concorrem no segundo turno:

Alagoas
Em Alagoas concorrem ao segundo turno Teotonio Vilela, que alcançou 39,58% dos votos (534.962) e Ronaldo Lessa, que obteve 29,16% (394.155). Há no estado 2.034.326 eleitores.

Amapá
Os 420.799 eleitores do Amapá vão decidir se o governador será Lucas Barreto, que conseguiu 28,93% (96.165) dos votos ou Camilo Capiberibe, com 28,68% (95.328).

Distrito Federal
A disputa no DF, que tem 1.836.280 eleitores, será entre Agnelo Queiroz, que teve 48,41% (676.394) dos votos e Weslian Roriz, que alcançou 31,50% (440.128).

Goiás
Marconi Perillo, que obteve 46,33% (1.400.227) dos votos e Iris Rezende que conseguiu 36,38% (1.099.552) decidirão a eleição em Goiás, onde há 4.061.371 eleitores.

Pará
Simão Jatene, com 1.720.631 votos (48,92%) e Ana Júlia que teve 1.267.981 votos (36,05%) disputarão o voto dos 4.768.457eleitores do Pará no segundo turno.

Paraíba
Na Paraíba, Ricardo Coutinho, com 49,74% (942.121) dos votos, e Zé Maranhão, com 49,30% (933.754) disputarão a preferência dos 2.740.079 eleitores.

Piauí
No Piauí, os candidatos ao segundo turno são Wilson Martins, que obteve 46,37% (725.563) dos votos e Sílvio Mendes, que teve 30,08% (470.660). O estado conta com 2.263.834 eleitores

Rondônia
Em Rondônia, 1.079.327 eleitores voltam às urnas para escolher o governador. Concorrem Confucio Moura, que alcançou 43,99% (291.765) dos votos e João Cahulla, que teve 37,14% (246.350).

Roraima
Por Roraima concorrem os candidatos Neudo Campos 47,62% (104.804) e José de Anchieta, que conseguiu 45,03% (99.124) dos votos. Há 271.890 eleitores no estado.

* Fonte: TSE.

ABC volta à Série B com uma grande vitória



Com um espetáculo comandado o tempo todo pela torcida, o ABC fez por merecer voltar à Série B jogando uma bela partida esta manhã no estádio Frasqueirão contra o Águia de Marabá(Pará).

O Mais Querido derrotou o Águia por 3 a 1, gols marcados por Leandrão, Jackson e Claudemir. Jaime fez o gol de honra do Águia.

Os torcedores deixam o Frasqueirão nesse momento para comemorar a vitória pela ruas da capital.

Fonte: TRIBUNA DO NORTE

SOLDADO É MORTO POR COLEGA EM TENENTE ANANIAS/RN


Uma história passional envolvendo uma mulher e dois soldados do destacamento do município de Tenente Ananias, distante 402 km de Natal, teve desfecho trágico na madrugada deste sábado (23). Segundo informações da polícia, o soldado Edson Carvalho de Queiroz confessou ter assassinado Geraldo Cleusimar da Costa, de 35 anos, por volta das 00h30.

Conforme informou o delegado Clécio, o crime foi motivado por ciúme. Ele contou que Geraldo e Edson faziam parte de um triângulo amoroso, composto ainda por uma dona-de-casa casada. “Ambos os soldados mantiveram relações amorosas com a senhora em momentos distintos. Geraldo foi o primeiro e, após o término, ela começou o caso com Edson”, disse.

A polícia suspeita que Geraldo, inconformado com a troca, tenha ficado de tocaia na casa de mulher, à espera do colega, que foi recebido com cinco disparos. A polícia chegou ao local após ter recebido ligações acerca do barulho de tiros na localidade. “Quando chegamos ao local encontramos Geraldo com vida, mas ele não revelou o autor dos tiros”, disse o delegado.

A polícia, então, telefonou para Edson em busca de apoio. Neste momento ele pediu para falar com seu superior e confessou ter assassinado Geraldo, alegando legítima defesa. “Nós refutamos o argumento dado por ele, pois isso não justifica o fato dele ter se evadido do local levando a arma do colega”, afirmou o delegado Clécio, acrescentando que Edson não teria feito menção de se entregar.

A polícia também trabalha com a hipótese da mulher ter fugido com o suspeito, já que ela está desaparecida desde a madrugada de ontem.


Fonte: nominuto.com

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

Prefeito exonera 289 comissionados


CEARÁ MIRIM - RN
Após extrapolar o limite prudencial da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) e de ser notificado pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE) para readequar os gastos com o pagamento da folha de pessoal, o prefeito de Ceará-Mirim, Antônio Peixoto, resolveu exonerar 289 cargos comissionados e em gratificação. São 13 secretários municipais; 2 diretores (da Fundação Cultural Nilo Pereira e do Sistema de Abastecimento de Água e Esgoto – SAAE); e 274 cargos de direção e assessoramento (CDA). Os salários dos funcionários demitidos variavam de R$ 500 a R$ 3,5 mil. 109 pessoas receberam uma gratificação complementar. A Prefeitura estima uma economia de aproximadamente R$ 300 mil/mês. A informação é do assessor de imprensa do município de Ceará-Mirim, Jorge Moreira.

Ele ressaltou, porém, que os secretários municipais devem atender ao pedido do prefeito Antônio Peixoto e permanecer nos cargos extra-oficialmente. “O prefeito pediu compreensão de todos os secretários que mesmo exonerados permanecem em suas pastas. Caso venha a ter alguma substituição as Secretarias ficarão organizadas”. O assessor explicou ainda que a prefeitura está realizando um estudo e uma avaliação da atual situação, mas ainda não tem informação sobre normalização dos serviços.

Ontem, 49 prefeitos de diversas regiões do Estado discutiram o agravamento da crise financeira enfrentada pelos municípios e prefeituras. A maioria deles enfrenta dificuldades para pagar salários dos servidores e não terá recursos suficientes para pagamento do décimo terceiro salário. É crescente o número de prefeituras que já começaram a atrasar o pagamento dos funcionários e algumas já começam a adotar medidas drásticas, como é o caso da Prefeitura de Ceará-Mirim.

Sob a coordenação da Federação dos Municípios do Rio Grande do Norte (FEMURN), os prefeitos voltarão a se reunir na próxima segunda-feira, 25, à tarde, em local a ser definidos. Os prefeitos, por intermédio do presidente da FEMURN, Benes Leocádio, convidarão os senadores e deputados federais do Estado para discutir saída para a grave crise financeira vivida pelos municípios.

“Trata-se do pior momento já vivido pelas prefeituras na história recente do municipalismo brasileiro”, diagnosticou o presidente da Federação dos Municípios do Rio Grande do Norte (Femurn), Benes Leocádio. Ele citou como exemplo o município de Lajes, da qual é prefeito pela quarta vez. “É a primeira vez, em 13 anos anos de administração que como prefeito de Lajes me vejo obrigado, por absoluta falta de condições financeiras, a atrasar salários de servidores”, revelou o prefeito. Números divulgados pela Confederação Nacional dos Municípios mostram a gravidade da crise financeira que assola as prefeituras de todo o país.

Fonte: TRIBUNA DO NORTE

Governo diz que não pode pagar empresários hoje

Mesmo com a ameaça do Sindicato das Indústrias de Laticínios e Produtos Derivados do Rio Grande do Norte (Sindleite) e consórcios do setor em paralisar o fornecimento do produto para o Programa do Leite a partir da próxima segunda-feira, o Governo do Estado não deverá repassar hoje o pagamento referente à segunda quinzena do mês passado. Com pagamentos atrasados desde setembro deste ano, os produtores exigem o repasse imediato de aproximadamente R$ 3 milhões.

emanuel amaral
Nelson Tavares, secretário da Seplan, se disse surpreso com decisão dos laticínios e produtores

Um documento informando a decisão dos produtores foi entregue na manhã de ontem à Secretaria Estadual do Trabalho e Assistência Social (Sethas), ao Instituto de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater RN), à Secretaria de Estado do Planejamento e das Finanças (Seplan) e ao gabinete civil do Estado.

De acordo com o secretário estadual de Planejamento, Nelson Tavares, o governo não irá atender a exigência dos produtores, uma vez que a administração estadual não pode deixar de cumprir a Lei de Responsabilidade Fiscal. Ele afirma que o estado não tem como quitar o pagamento imediatamente, por estar sendo pequeno o repasse do fundo de participação dos estados (FPE) e a folha de pagamento é prioridade. “Os impostos arrecadados pelo estado são superavitários, mas acontece que estamos com um déficit de R$ 150 milhões, por causa de outros repasses que estão fracos”, expõe.

Tavares diz ter ficado surpreso com a decisão do sindicato, por já existir um acordo entre a entidade e o governo, relativo ao pagamento. “Já tínhamos acertado que seriam pagas as parcelas mensais e mais uma em atraso a cada mês. Dessa forma, chegaríamos a dezembro sem restos a pagar”.

Com uma postura mais comedida, o titular da Sethas, Gercino Saraiva, se limita a reforçar que a postura do governo será a de manter o acordo realizado entre a Seplan e o Sindleite. Segundo ele, prevalece o compromisso firmado entre o governo e os produtores, através do qual os pagamentos serão regularizados até dezembro.

O vice-presidente do Sindleite, Belarmino Macedo, enfatizou a posição de suspender o fornecimento na segunda-feira. Além desse pagamento, os fornecedores esperam receber também a segunda quinzena do mês passado até o próximo dia 26. E, caso haja a quitação do débito hoje, mas os produtores não recebam a parcela prevista para a próxima terça-feira, o fornecimento será suspenso no dia seguinte.

Iberê determina corte de gastos para cumprir LRF

Para cumprir a lei de responsabilidade fiscal (LRF), o Governo do Estado promoverá a redução de gastos com pessoal, contratos de mão de obra, locação de veículos, cotas de abastecimento e de concessões de viagens e diárias, bem como a renegociação de contratos. A decisão foi comunicada pelo governador Iberê Ferreira de Souza ao secretariado estadual, em reunião realizada durante a tarde de ontem. Na ocasião, o governador informou que a prioridade será o pagamento da folha, bem como as despesas da Saúde.

O cumprimento da LRF já havia sido debatido pelo governador potiguar na quarta-feira, durante audiência realizada em Brasília com o ministro da fazenda, Guido Mantega, e o governador de Sergipe, Marcelo Déda. Além disso, foi pauta do encontro uma uma avaliação das quedas das receitas estaduais com o fundo de participação dos estados (FPE), repassado mensalmente pela União a todas às unidades da federação, levando em conta o fechamento do exercício 2010 e o cumprimento da lei de responsabilidade fiscal.

A Fazenda agendou uma nova reunião para a próxima segunda-feira, na qual o cumprimento da LRF será debatido com os secretários de Tributação do RN e Sergipe, com o titular da Secretaria do Tesouro Nacional (STN), Arno Augustin.

Fonte: TRIBUNA DO NORTE

Ativistas alemães protestam contra o não cumprimento de meta de ajuda humanitária

Tobias Schwarz/Reuters
Ativistas da ONG de ajuda humanitária Oxfam posam contra parede do antigo Muro de Berlim durante o protesto

DE SÃO PAULO

Ativistas alemães da ONG de ajuda humanitária Oxfam posaram para uma foto nus contra um pedaço do antigo Muro de Berlim nesta sexta-feira para protestar contra o não cumprimento de promessas de doação feitas pelos países-membros da ONU.
Há 40 anos, a nações que compunham o organismo internacional prometeram destinar 0,7% dos seus PIBs à ajuda humanitária. O compromisso, no entanto, nunca foi cumprido.

Na foto, os sete ativistas postam-se contra a parede e formam a mensagem "0,7% Oxfam" nas nádegas. O gesto reedita um conhecido protesto realizado pelo grupo alemão Kommune-1, que durante dois anos manteve uma comuna na capital da então Alemanha Ocidental.

Fonte: FOLHA.com

Dilma estanca sua queda e abre 12 pontos sobre Serra

Considerando os votos válidos, a candidata petista tem 56%, e o tucano, 44%, aponta o Datafolha
FERNANDO RODRIGUES
DE BRASÍLIA

Pesquisa Datafolha confirma que Dilma Rousseff (PT) estancou sua perda de votos iniciada no final de setembro. A petista voltou a subir e agora tem uma vantagem de 12 pontos sobre José Serra (PSDB) na disputa pela Presidência da República.

Quando se consideram os votos válidos (excluídos brancos, nulos e indecisos), a petista tem 56% contra 44% do tucano. Esses 12 pontos de vantagem estão abaixo do que foi registrado na véspera da eleição do último dia 3, quando o Datafolha fez uma simulação de eventual segundo turno --Dilma tinha 57% contra 43% de Serra.
A pesquisa foi encomendada pela Folha e pela Rede Globo e registrada no TSE (Tribunal Superior Eleitoral com o número 36.536/2010. O Datafolha entrevistou ontem 4.037 pessoas em 243 cidades. A margem de erro é de dois pontos, para mais ou para menos.

Em relação à semana passada, as oscilações dos percentuais totais de votos válidos foram todas no limite da margem de erro. Dilma tinha 54% (com mais dois pontos, foi a 56%). Serra tinha 46% (e deslizou para 44%).

Nos votos totais, Dilma aparece com 50% (tinha 47% há uma semana). Serra tem 40% (contra 41% do levantamento anterior). Os que dizem votar em branco, nulo ou nenhum continuaram estáveis, com 4%. Os indecisos oscilaram de 8% para 6%.

VOTOS DE MARINA

Os votos da terceira colocada no primeiro turno, Marina Silva (PV), registraram um movimento favorável a Dilma nesta semana. A petista cresceu oito pontos nesse grupo, de 23% para 31%.

Ainda assim, Dilma continua bem atrás de Serra entre os "marineiros". O tucano sofreu uma queda de cinco pontos, de 51% para 46%.

Há poucos eleitores se dizendo disponíveis para os candidatos aumentarem seus percentuais. Segundo o Datafolha, 88% dos brasileiros declaram-se totalmente decididos sobre em quem votar no dia 31. Apenas 10% cogitam mudar de opinião.

O Datafolha registrou também um fenômeno comum nesta época em períodos eleitorais: aumentou a audiência dos comerciais dos candidatos na TV. Nesta semana, 63% afirmaram ter assistido pelo menos uma vez à propaganda --na semana passada, o percentual era de 52%.

O maior número de eleitores que assistem ao horário eleitoral está no Sul (71%). No Nordeste, o percentual é o menor do país, com 61%.

O debate Folha/RedeTV!, realizado domingo passado, foi visto inteiro ou em parte por 25% dos eleitores.

Segundo o Datafolha, entre os que viram ou ouviram falar do encontro, 24% disseram que Serra foi o vencedor, e 23% apontaram Dilma.

Quando se consideram só os que viram na íntegra, o tucano foi apontado como vencedor por 47% contra 37%.


Fonte: FOLHA.com

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Mônica Bergamo: Promotor quer que Detran esclareça como Tiririca tirou habilitação


DE SÃO PAULO
O promotor Maurício Ribeiro Lopes, autor da denúncia contra o deputado eleito Tiririca (PR-SP) por supostamente ter falsificado uma declaração de que é alfabetizado, quer que o Detran de São Paulo esclareça como foi que o humorista tirou sua carteira de habilitação, informa a coluna Mônica Bergamo, publicada nesta quarta-feira pela Folha
Como acredita que o palhaço não sabe ler, ele desconfia também que o documento, que poderia ser uma prova de que Tiririca é alfabetizado, tenha sido obtido de forma ilegal.
O advogado de Tiririca, Ricardo Vita Porto, diz que a carta de motorista do deputado federal eleito não será usada na defesa.
Leia a coluna na Folha desta quarta-feira, que já está nas bancas.

Fonte: FOLHA.com

Polícia Federal liga quebra de sigilo à pré-campanha de Dilma

DE BRASÍLIA

Investigação da Polícia Federal fez conexão entre a quebra do sigilo fiscal de pessoas ligadas ao candidato José Serra (PSDB) e o dossiê preparado pelo chamado "grupo de inteligência" da pré-campanha de Dilma Rousseff (PT), informa reportagem de Leonardo Souza, publicada nesta quarta-feira pela Folha (íntegra disponível para assinantes do jornal e do UOL).

A PF já descobriu quem encomendou as informações: o jornalista Amaury Ribeiro Jr., ligado ao "grupo de inteligência".

Também identificou o homem que intermediou a compra dos dados obtidos ilegalmente em agências da Receita no Estado de São Paulo. Trata-se do despachante Dirceu Rodrigues Garcia.

O elo foi estabelecido a partir do levantamento de ligações entre o despachante e o jornalista revelado pelo cruzamento de extratos telefônicos obtidos pela PF com autorização judicial.

O uso de informações confidenciais de tucanos no dossiê petista foi revelado pela Folha em junho.

No inquérito aberto para investigar a violação do sigilo fiscal de parentes e pessoas próximas ao candidato José Serra (PSDB), a Polícia Federal já ouviu até agora 37 pessoas em mais de 50 depoimentos --alguns foram inquiridos mais de uma vez.

Ribeiro Jr. não foi indiciado até o momento.


Editoria de Arte/Folhapress


Fonte: FOLHA.com

HUMOR POR ALLAN SIEBER

terça-feira, 19 de outubro de 2010

Justiça trava concurso dos Correios


A 5ª Vara da Justiça Federal de Brasília determinou a suspensão do processo de contratação da organizadora que aplicará as provas do concurso para 6.565 vagas nos Correios. A prova objetiva estava prevista para ser aplicada no dia 28 de novembro. A empresa escolhida para organizar a realização dos exames é a Fundação Cesgranrio, com sede no Rio de Janeiro.

Esse é o concurso que recebeu o maior número de inscritos até o momento neste ano no país, com 1.064.209 de candidatos, superando até mesmo o do IBGE para 192 mil vagas de recenseador, que teve 1.051.582 inscrições. Os Correios afirmaram que irão recorrer da decisão e que farão de tudo para manter o cronograma do concurso.

De acordo com o cronograma, a divulgação dos gabaritos será no dia 29 de novembro, o recebimento dos recursos do dia 30 de novembro a 2 de dezembro, a resposta aos recursos até 13 de dezembro e a publicação do resultado no "Diário Oficial da União" até o dia 31 de dezembro.

O concurso teve o edital publicado em dezembro de 2009. Os salários vão de R$ 706,48 a R$ 3.108,37 .

Jornalista/blogueiro de Caicó é assassinado


O radialista e jornalista Francisco Gomes, mais conhecido como F.Gomes, foi executado na noite desta segunda-feira (18) no município de Caicó, onde morava, na região Seridó do Rio Grande do Norte.

F. Gomes era um dos mais respeitados jornalista policial do estado e combatia o crime com textos publicados diariamente em seu blog.

O radialista foi correspondente do Diário de Natal na região Seridó durante muitos anos, além de ter prestado serviços, também, para a Tribuna do Norte.

De acordo com informações, dois homens não identificados chegaram de moto, pararam em frente à sua casa, e dispararam contra F.Gomes. Três disparos fatais o atingiram. F.Gomes foi socorrido mas não resistiu. Até o momento a polícia não tem pistas sobre os assassinos.

F.Gomes era casado com Eliane Gomes, e pai de três filhos, sendo uma moça e dois rapazes.

Cidadãos de Caicó e jornalistas da região estão chocados com o acontecido.

Divisão de Crime Organizado vai investigar morte de F. Gomes

A Delegacia Geral da Polícia Civil informou que a morte do radialista Francisco Gomes de Medeiros, o F. Gomes, será investigada pela Divisão de Investigação e Combate ao Crime Organizado (Deicor).

F. Gomes foi assassinado na calçada de casa, na noite desta segunda-feira (18), em Caicó. Ele estava sentado ao lado do filho, quando dois homens chegaram em uma motocicleta e efetuaram vários disparos.

O radialista foi atingido por pelo menos quatro tiros, a maioria na região do abdômen. F. Gomes chegou a ser socorrido e levado ao hospital de Caicó, mas acabou não resistindo e morreu.

Ele era um dos repórteres policial mais antigo do Rio Grande do Norte, tendo trabalhado em vários veículos de comunicação de Natal e no interior. Atualmente, ele tinha um programa na Rádio Caicó e mantinha um blog policial.

Antes do primeiro turno das eleições, F. Gomes denúnciou um suposto esquema de compra de votos em troca de crack, em Caicó. De acordo com os amigos mais chegados a ele, o radialista "incomodava" muita gente com suas reportagens.

Polícia encontra roupas que podem ter sido utilizadas pelo assassino de F.Gomes

A polícia ainda continua realizando diligências por Caicó, à procura de vestígios que possam levar ao assassino de F.Gomes, morto na noite de ontem (ver postagens abaixo).

Segundo o comandante do policiamento em Caicó, coronel Cipriano, os policiais encontraram uma jaqueta de moto-táxi e um blusão preto que, possivelmente, foram usados como disfarce pelo assassino.

As vestes foram encontradas em uma estrada que fica por trás do Batalhão de Polícia Militar.

Programação especial:

A Rádio Caicó, veículo onde F.Gomes atuava há três anos como diretor de jornalismo, começa agora nos estúdios uma homenagem ao radialista.

Os profissionais da rádio prepararam uma cobertura especial para o sepultamento e a missa de F.Gomes.

Suerda Medeiros, diretora geral da Rádio Caicó, conta que quem conseguiu trabalhar hoje (19) na rádio, o fez com muita emoção. “Queremos lembrar de F.Gomes pela coragem, empenho e luta contra o crime”, disse.

Fonte: Blog do Jean Carlos

PSDB questiona pesquisa que aponta 12 pontos de vantagem para Dilma

DA REUTERS

presidente do PSDB, senador Sérgio Guerra (PE), questionou nesta terça-feira a pesquisa Vox Populi que aponta a candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff, com vantagem de 12 pontos sobre José Serra (PSDB).

"É sem vergonha", disse Guerra a jornalistas, referindo-se à pesquisa.
Segundo o dirigente, o instituto Vox Populi vem errando suas previsões desde o primeiro turno. "O Vox Populi não acertou nada. Enganou os brasileiros. Procurou interferir na vontade deles. Se ficarmos calados diante de fatos como esses, quero dizer a vocês que a nossa democracia não está bem protegida", reiterou.

Coordenador da campanha tucana, Guerra adiantou, no entanto, que a coligação que apoia Serra não vai ingressar com demandas na Justiça contra a pesquisa.

Pelo Vox Populi, Dilma tem 51% das intenções de voto, contra 39% de Serra. Considerando apenas os votos válidos (sem nulos, brancos e indecisos), a petista tem 57%, contra 43% de Serra.

Guerra também não poupou de críticas o dirigente do Vox Populi, Marcos Coimbra. "A gente vai ganhar esta eleição. O Marcos Coimbra não vai eleger o presidente da República. Ele não é o povo, quem vai eleger o presidente da República é o povo brasileiro", disse, apontando que o instituto também faz pesquisas sob encomenda para o PT.

Procurado, o instituto Vox Populi não tinha um porta-voz disponível. Pesquisas divulgadas na semana passada também apontaram vantagem para Dilma, em patamar menor.

O Sensus indicou os dois candidatos no limite do empate técnico, com Dilma aparecendo com 46,8% das intenções de voto, contra 42,7% de Serra. O Ibope trouxe placar de 49% a 43% e o Datafolha, de 47% a 41%.

Fonte: FOLHA.com

segunda-feira, 18 de outubro de 2010

ÁGUA NOVA FEZ UMA GRANDE FESTA PARA SUA CRIANÇADA

PREFEITA ILIENE AO LADO DE SUA SOBRINHA RAFAELA, FILHA DE IROMAR






Aconteceu no último dia 11, às 8h, lá em "nós", município de ÁGUA NOVA, a festa alusiva às crianças.

O evento aconteceu em numa Escola Municipal e teve a adesão de um número considerável de foliões.

A Prefeitura, que prima por esse tipo de solenidade, e a chefe do executivo, ILIENE CARVALHO, não mede esforços para realizá-la, vai, sem sombra de dúvidas, se tornar TRADIÇÃO na Terra de Santa Luzia.

Foram distribuídos diversos prêmios e, além disso, apresentação de palhaços, distribuição de picolés, pipocas. . . .

IONÁRIA RAFAELA, SEDÍMA FRANÇA E ADELZON NUNES FORAM OS RESPONSÁVEIS PELO SUCESSO DO EVENTO!

A Administração ‘GOVERNANDO COM O POVO” fará um evento, infinitamente, MAIOR em 2011. Porque as crianças de Água Nova merecem.

'Independência' foi a melhor decisão', afirma Marina Silva


A senadora Marina Silva (PV) afirmou nesta segunda-feira (18), em entrevista à rádio Bandeirantes, que a posição de independência do PV no segundo turno das eleições presidenciais foi a "melhor decisão" para o Brasil. "Foi a melhor decisão para o Brasil, para a democracia e para aqueles que, no meu entendimento, se referenciaram nos programas que apresentamos na campanha. Nós chamamos de uma decisão independente", disse Marina.

A senadora Marina Silva e o PV anunciaram neste domingo (17) posição de "independência" em relação à disputa do segundo turno da eleição presidencial entre Dilma Rousseff (PT) e José Serra (PSDB).

"Há uma diferença entre a independência e a neutralidade. Na neutralidade você simplesmente se ausenta do processo, nós apresentamos dez pontos com 42 itens que consideramos importantes para o aperfeiçoamento da gestão pública (...) isso é ter uma atitude de compromisso", afirmou Marina Silva.

Segundo ela, os adversários analisaram as propostas e acolheram boa parte delas. "Consideramos que a candidatura da ministra Dilma acolheu um pouco mais, a do Serra um pouco menos, a proposta está na mão deles e cabe a eles internalizá-la no decorrer da campanha".

"A independência do partido, minha e de Guilherme [Leal] diz respeito a uma visão que temos do cidadão brasileiro. As pessoas que votaram na nossa plataforma são pessoas que se orientam por opinião e não teríamos uma atitude desrespeitosa de dizer me sigam para um lado ou para outro", disse Marina.

No primeiro turno, Marina obteve 19,6 milhões de votos, quase 20% dos votos válidos. O apoio dela e do PV era cobiçado por Dilma e por Serra, que enviaram cartas à senadora destacando afinidades entre pontos dos planos de governo. Porém, em reunião plenária do PV neste domingo, Marina leu uma carta aberta a Dilma e Serra em que afirma que essa é posição que melhor pode contribuir para o processo eleitoral.

Fonte:G1

Em debate Folha/RedeTV!, presidenciáveis diminuem tom agressivo

Jorge Araújo/Folhapress




Dilma e Serra se enfrentam em debate Folha/RedeTV!









DE SÃO PAULO

Dilma Rousseff (PT) e José Serra (PSDB) mudaram de estratégia e diminuíram o tom agressivo ontem no debate Folha/Rede TV, mas não escaparam de ter de responder sobre acusações contra ex-assessores.

Dilma deixou de lado a agressividade do debate anterior, na Rede Bandeirantes, e tentou colar em Serra o rótulo de "privatista". Ela insistiu em comparar o governo Fernando Henrique Cardoso ao de Lula e em criticar a gestão tucana em São Paulo.

A princípio na defensiva pela necessidade de negar que vá privatizar empresas se eleito, Serra contra-atacou ao rotular Dilma de "antipaulista", pelas reiteradas críticas ao governo do Estado. Ela acusou o golpe e por várias vezes disse que não tinha nada contra o "povo paulista", mas contra gestões do PSDB.

Dilma e Serra foram questionados sobre corrupção apenas nas intervenções das jornalistas Renata Lo Prete, editora do*Painel*, e Patrícia Zorzan, da Rede TV!

O tucano negou ter relação com o ex-diretor da Dersa Paulo Vieira de Souza, o Paulo Preto. Disse desconhecer desvio na campanha e que, se tivesse havido, ele seria "vítima": "Não tem nada a ver isso com negar mensalão, negar desvio na Casa Civil".

Dilma foi questionada sobre tráfico de influência na Casa Civil, que derrubou Erenice Guerra. "A Erenice cometeu um erro. Eu sou contra contratação de parentes."

O tema da descriminalização do aborto não foi debatido. Serra e Dilma também não falaram da quebra do sigilo fiscal de tucanos em agências da Receita Federal.

Já Serra concentrou ataques na área da segurança e tentou usar as perguntas sobre privatização para criticar o aparelhamento de estatais.

Dilma tentou surpreender o adversário com uma pergunta sobre a venda da empresa privada Gas Brasiliano.

A petista acusou o tucano, quando governador de São Paulo, de tentar impedir que a Petrobras comprasse a empresa, dando preferência a uma concorrente japonesa: "Prefere-se uma empresa japonesa, privada, e falam que gostam da Petrobras".

"A candidata na TV mente o tempo inteiro sobre a Petrobras", rebateu Serra.

No segundo bloco, Dilma insistiu no tema, sugerindo que Serra poderia privatizar o pré-sal. O tucano devolveu citando "loteamento político" de estatais e sugeriu que Fernando Collor (PTB) ficaria com a BR Distribuidora em eventual governo dela.

O tucano também defen deu a privatização da Telebrás. "Hoje, um mecânico, um marceneiro, podem receber telefonema enquanto estão trabalhando", disse.

Serra rotulou a adversária como antipaulista. "Dá a impressão que a Dilma é candidata ao governo de São Paulo". Dilma rebateu: "O senhor fica um pouco pretensioso. Não pode se comparar com o povo de São Paulo".

O tucano disse que drogas chegam ao país porque o policiamento de fronteiras é ineficaz. Ela respondeu citando projeto da PF de usar aviões não tripulados e citou a cracolândia de SP: "Tenho um compromisso que é livrar São Paulo do PCC", disse.

No final, Dilma citou Lula e disse que "a esperança vai vencer o ódio", e Serra lembrou sua biografia.

Fonte: FOLHA DE SÃO PAULO

PF já fez cópia de arquivo dos computadores de envolvidos em caso Erenice

ANDREZA MATAIS
DE BRASÍLIA

A Polícia Federal esteve na última sexta-feira na Casa Civil para fazer cópia dos arquivos dos computadores que a ex-ministra Erenice Guerra e outros dois ex-assessores do órgão utilizavam.

A PF também fez cópia dos arquivos das máquinas utilizadas pelo ex-diretor de Operações dos Correios Marco Antonio na estatal e do computador utilizado por Israel Guerra, filho da ex-ministra, na Terracap, empresa pública do DF.

A autorização foi dada na última quarta-feira pela Justiça Federal, que aceitou ainda o pedido da PF para prorrogar o inquérito que investiga tráfico de influência na Casa Civil por mais 30 dias. Todo o material está na PF e será submetido à análise.

Com a prorrogação autorizada, o encerramento do caso ficou para depois da eleição presidencial.

No inquérito, a PF apura crimes contra a administração pública, como corrupção passiva e advocacia administrativa, fraude à licitação.

O esquema de lobby operado na Casa Civil contava com a participação de filhos da ex-ministra Erenice Guerra que intermediavam negócios privados com o governo possivelmente com a anuência dela.

Em depoimentos dados à PF aos quais a Folha teve acesso, empresários confirmaram o esquema. Os filhos de Erenice, além de ex-assessores da Casa Civil, se recusaram a coloborar com a investigação.

Entenda as acusações envolvendo Erenice Guerra

Editoria de Arte/Folhapress

A agora ex-ministra da Casa Civil, Erenice Guerra foi envolvida em duas acusações: uma, feita por uma empresa de Campinas e publicada em reportagem na Folha, de que seu filho Israel cobrava dinheiro para obter liberação de empréstimo no BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social); outra, segundo reportagem publicada na revista "Veja", de que Erenice teria atuado para viabilizar negócios nos Correios intermediados por uma empresa de consultoria de propriedade de seu outro filho, Israel.
A empresa que acusa Saulo, EDRB do Brasil Ltda., estava interessada em instalar uma central de energia solar no Nordeste, e diz que o projeto estava parado desde 2002 na burocracia federal até que, no ano passado, seus donos foram orientados por um servidor da Casa Civil a procurar a Capital Consultoria.

Trata-se da firma aberta em nome de Saulo, e que foi usada por outro filho de Erenice, Israel, para ajudar uma empresa do setor aéreo a fechar contrato com os Correios --primeiro negócio a lançar suspeitas de tráfico de influência no ministério, revelado pela revista "Veja".

A Casa Civil confirmou ontem que houve uma reunião com representantes da EDRB em novembro na sede da Presidência, mas negou que Erenice Guerra tenha participado.

"A audiência foi pedida inicialmente com a secretária-executiva, mas, por incompatibilidade de agenda, foi conduzida pelo então assessor especial e atual chefe de gabinete da Casa Civil", informou a assessoria.

Nos dois meses seguintes, por meio de reuniões em Brasília, com a participação de Israel Guerra, telefonemas e e-mails, a EDRB afirma ter sido informada das condições impostas pela Capital para que um financiamento de R$ 9 bilhões do BNDES, em três parcelas, enfim saísse.

Os termos, segundo a empresa de Campinas, incluíam seis pagamentos mensais à Capital de R$ 40 mil e uma comissão de 5% sobre o valor do empréstimo.

Segundo o relato, haveria também um repasse de R$ 5 milhões para supostamente ajudar a campanha da eleição de Dilma.

"Não aceitamos pagar nada. Temos investidores, empresas que querem construir, gerar alguma coisa, e não criar vagabundos dessa forma", disse à Folha Rubnei Quícoli, consultor da EDRB que fez os contatos com a Casa Civil e com a Capital. "Nos foi apresentada uma minuta de contrato.

A gente contrataria uma empresa para fazer o acompanhamento jurídico do negócio todo. A empresa do filho da dona Erenice. Olhei os valores e disse: 'Bom, para fazer acompanhamento jurídico desse troço, a gente não concorda pagar isso'. E aí o negócio terminou", confirmou Aldo Wagner, sócio da EDRB.

CORREIOS

Segundo reportagem publicada na revista "Veja", a ministra-chefe da Casa Civil, Erenice Alves Guerra, teria atuado para viabilizar negócios nos Correios intermediados pela empresa de consultoria de Israel.

De acordo com a revista, Erenice se encontrou quatro vezes, fora da agenda oficial, com o empresário Fábio Baracat, ex-sócio da MTA Linhas Aéreas, que atua com transporte de correspondências.

Todos os encontros, afirma a revista, aconteceram fora da Casa Civil, sempre com a participação do filho de Erenice. Esses encontros englobaram tanto o período em que Erenice era subordinada a Dilma, quanto o período em que sucedeu a candidata petista no comando da Casa Civil, em abril.

O contrato, assinado em agosto de 2009, previa um pagamento mensal de R$ 24,7 mil mensais. O objetivo do contrato, segundo a revista, era aumentar a participação da MTA e da Via Net e garantir mais contratos com a estatal.

Segundo a revista, depois dos encontros com Erenice, intermediados por Israel Guerra, a MTA conseguiu contratos no valor total de R$ 84 milhões com os Correios --destes, R$ 5 milhões foram para a empresa.

A revista reproduz um contrato firmado entre a empresa Via Net Express Transportes Ltda, de Baracat, com a Capital Assessoria e Consultoria Empresarial, de Israel Guerra, em que é prevista o pagamento de uma taxa de 6% em caso de "êxito" na prestação dos serviços.

A Capital foi aberta oficialmente em julho de 2009 e encerrou suas atividades recentemente. Ela estava registrada em nome de Saulo Guerra, outro filho de Erenice, e de Sônia Castro, mãe de Vinícius Castro, assessor da Casa Civil.

No entanto, afirma a revista, quem tocava a empresa, na prática, era Israel, Vinícius e Stevan Knezevic, lotado no Centro Gestor e Operacional do Sipam (Sistema de Proteção da Amazônia), na Presidência da República.

Reuniões com clientes da empresa aconteceram, segundo a "Veja", em um escritório de advocacia em Brasília que tem como um de seus sócios Márcio Silva, que integra a coordenação jurídica da campanha do PT à Presidência.

Além de Márcio Silva, são sócios do escritório Trajano & Silva Advogados um irmão de Erenice, Antônio Alves de Carvalho, e Alan Trajano, lotado no gabinete do deputado federal João Paulo Cunha (PT-SP), réu no processo do mensalão.

RESPOSTA

Após as denúncias de "Veja", Erenice colocou seus sigilos fiscal, bancário e telefônico e os de sua família à disposição das autoridades competentes.

"Sinto-me atacada em minha honra pessoal e ultrajada pelas mentiras publicadas sem a menor base em provas ou em sustentação na verdade dos fatos, cabendo-me tomar medidas judiciais para a reparação necessária. E assim o farei. Não permitirei que a revista 'Veja', contumaz no enxovalho da honra alheia, o faça comigo sem que seja acionada tanto por danos morais quanto para que me garanta o direito de resposta", disse em nota.

Ela ainda lamentou que o processo eleitoral, "no qual a citada revista está envolvida da forma mais virulenta e menos ética possível, propicie esse tipo de comportamento e a utilização de expediente como esse, em que se publica ataque à honra alheia travestido de material jornalístico sem que se veicule a resposta dos ofendidos".

A ministra também pediu à Comissão de Ética Pública da Presidência da República a imediata instauração de procedimento para apurar a sua conduta em relação às acusações.

Já o assessor da Casa Civil, Vinícius Castro, pediu exoneração do cargo. Em nota, o servidor declarou que "repudia todas as acusações".

O diretor-geral da Polícia Federal, Luiz Fernando Corrêa, pediu à Corregedoria da polícia que analise o caso envolvendo a ministra e seu filho. A Corregedoria irá avaliar se abre uma investigação sobre as denúncias.

Fonte: FOLHA DE SÃO PAULO

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

Justiça Eleitoral de SP notifica Tiririca para apresentar defesa

Mauricio Piffer/Folhapress




Tiririca foi notificado para apresentar defesa em 10 dias








DE SÃO PAULO

O deputado eleito Francisco Everardo Oliveira Silva, o palhaço Tiririca, foi notificado nesta quarta-feira, no diretório do PR, para apresentar em 10 dias defesa em uma ação penal que responde na Justiça Eleitoral de São Paulo.

A ação investiga se é falso o documento apresentado por Tiririca para comprovar que é alfabetizado.

A denúncia do Ministério Público Eleitoral contra o deputado eleito foi aceita pelo juiz da 1ª Zona Eleitoral de São Paulo, Aloísio Sérgio Rezende Silveira.

Segundo o juiz, a ação não impede a diplomação de Tiririca ou representação cassação do seu mandato.

"Somente uma eventual condenação transitada em julgado poderá vir a afetar seu mandato", afirma o juiz.

Ele lembra que, depois de diplomado, Tiririca passa a ter foro privilegiado e o processo é encaminhado ao Supremo Tribunal Federal.

O palhaço Tiririca foi eleito deputado federal pelo PR com 1,35 milhão de votos.

Ao aceitar o pedido, o juiz afirmou que laudo levanta dúvida sobre o documento apresentado pelo deputado eleito ao apontar um "artificialismo gráfico".

"A prova técnica produzida pelo Instituto de Criminalística aponta para uma discrepância de grafias", afirma Silveira.

A denúncia foi recebida como complemento de outra aceita no dia 22 de setembro por omissão de bens na sua declaração quando se registrou candidato.

No dia 29 de setembro, o mesmo juiz rejeitou um pedido do promotor Maurício Antonio Ribeiro Lopes, da 1ª Zona Eleitoral de São Paulo, que queria fazer um teste de escrita e leitura com o candidato.

Para ele, não havia qualquer causa de inelegibilidade, inclusive quanto à instrução mínima.

Na decisão, o juiz afirma que, a lei "não exige que os candidatos possuam mediano ou elevado grau de instrução, mas apenas que tenham noções rudimentares da linguagem pátria, tanto que é preceito do próprio Estado democrático de Direito a pluralidade / diversidade, buscando-se evitar, inclusive, a formação de um elitismo no corpo dos membros dos poderes legislativo e executivo."

No último dia 22, a Justiça recebeu uma denúncia contra o candidato por omissão da declaração de bens no pedido de registro de sua candidatura. A denúncia também foi oferecida pelo Ministério Público Eleitoral, que entende ter havido falsidade ideológica.

Fonte: FOLHA de São Paulo

quinta-feira, 7 de outubro de 2010

Estou fazendo minha parte


ARNALDO JABOR SOBRE A ELEIÇÃO DE TIRIRICA PARA A CÂMARA FEDERAL: 1.350,000 VOTOS

- Brasileiro é um povo solidário. Mentira. Brasileiro é babaca.

Eleger para o cargo mais importante do Estado um sujeito que não tem escolaridade e preparo nem para ser gari, só porque tem uma história de vida sofrida;
Pagar 40% de sua renda em tributos e ainda dar esmola para pobre na rua ao invés de cobrar do governo uma solução para pobreza;
Aceitar que ONG's de direitos humanos fiquem dando pitaco na forma como tratamos nossa criminalidade. ..
Não protestar cada vez que o governo compra colchões para presidiários que queimaram os deles de propósito, não é coisa de gente solidária.
É coisa de gente otária.

- Brasileiro é um povo alegre. Mentira. Brasileiro é bobalhão.

Fazer piadinha com as imundices que acompanhamos todo dia é o mesmo que tomar bofetada na cara e dar risada.
Depois de um massacre que durou quatro dias em São Paulo, ouvir o José Simão fazer piadinha a respeito e achar graça, é o mesmo que contar piada no enterro do pai.
Brasileiro tem um sério problema.
Quando surge um escândalo, ao invés de protestar e tomar providências como cidadão, ri feito bobo.

- Brasileiro é um povo trabalhador. Mentira.

Brasileiro é vagabundo por excelência.
O brasileiro tenta se enganar, fingindo que os políticos que ocupam cargos públicos no país, surgiram de Marte e pousaram em seus cargos, quando na verdade, são oriundos do povo.
O brasileiro, ao mesmo tempo em que fica indignado ao ver um deputado receber 20 mil por mês, para trabalhar 3 dias e coçar o saco o resto da semana, também sente inveja e sabe lá no fundo que se estivesse no lugar dele faria o mesmo.
Um povo que se conforma em receber uma esmola do governo de 90 reais mensais para não fazer nada e não aproveita isso para alavancar sua vida (realidade da brutal maioria dos beneficiários do bolsa família) não pode ser adjetivado de outra coisa que não de vagabundo.

- Brasileiro é um povo honesto. Mentira.

Já foi; hoje é uma qualidade em baixa.
Se você oferecer 50 Euros a um policial europeu para ele não te autuar, provavelmente irá preso.
Não por medo de ser pego, mas porque ele sabe ser errado aceitar propinas.
O brasileiro, ao mesmo tempo em que fica indignado com o mensalão, pensa intimamente o que faria se arrumasse uma boquinha dessas, quando na realidade isso sequer deveria passar por sua cabeça.

- 90% de quem vive na favela é gente honesta e trabalhadora. Mentira..

Já foi.
Historicamente, as favelas se iniciaram nos morros cariocas quando os negros e mulatos retornando da
Guerra do Paraguai ali se instalaram.
Naquela época quem morava lá era gente honesta, que não tinha outra alternativa e não concordava com o crime.
Hoje a realidade é diferente.
Muito pai de família sonha que o filho seja aceito como 'aviãozinho' do tráfico para ganhar uma grana legal.
Se a maioria da favela fosse honesta, já teriam existido condições de se tocar os bandidos de lá para fora, porque podem matar 2 ou 3 mas não milhares de pessoas.
Além disso, cooperariam com a polícia na identificação de criminosos, inibindo-os de montar suas bases de operação nas favelas.

- O Brasil é um pais democrático.. Mentira.

Num país democrático a vontade da maioria é Lei.
A maioria do povo acha que bandido bom é bandido morto, mas sucumbe a uma minoria barulhenta que se apressa em dizer que um bandido que foi morto numa troca de tiros, foi executado friamente.
Num país onde todos têm direitos mas ninguém tem obrigações, não existe democracia e sim, anarquia.
Num país em que a maioria sucumbe bovinamente ante uma minoria barulhenta, não existe democracia, mas um simulacro hipócrita.
Se tirarmos o pano do politicamente correto, veremos que vivemos numa sociedade feudal: um rei que detém o poder central (presidente e suas MPs), seguido de duques, condes, arquiduques e senhores feudais (ministros, senadores, deputados, prefeitos, vereadores).
Todos sustentados pelo povo que paga tributos que têm como único fim, o pagamento dos privilégios do poder. E ainda somos obrigados a votar.

Democracia isso? Pense !

O famoso jeitinho brasileiro.
Na minha opinião, um dos maiores responsáveis pelo caos que se tornou a política brasileira.
Brasileiro se acha malandro, muito esperto.
Faz um 'gato' puxando a TV a cabo do vizinho e acha que está botando pra quebrar.
No outro dia o caixa da padaria erra no troco e devolve 6 reais a mais, caramba, silenciosamente ele sai de lá com a felicidade de ter ganhado na loto.... malandrões, esquecem que pagam a maior taxa de juros do planeta e o retorno é zero. Zero saúde, zero emprego, zero educação, mas e daí?
Afinal somos penta campeões do mundo né?? ?
Grande coisa...

O Brasil é o país do futuro. Caramba , meu avô dizia isso em 1950. Muitas vezes cheguei a imaginar em como seria a indignação e revolta dos meus avôs se ainda estivessem vivos.
Dessa vergonha eles se safaram...
Brasil, o país do futuro !?
Hoje o futuro chegou e tivemos uma das piores taxas de crescimento do mundo.

Deus é brasileiro.
Puxa, essa eu não vou nem comentar...

O que me deixa mais triste e inconformado é ver todos os dias nos jornais a manchete da vitória do governo mais sujo já visto em toda a história brasileira.
Para finalizar tiro minha conclusão:

O brasileiro merece! Como diz o ditado popular, é igual mulher de malandro, gosta de apanhar. Se você não é como o exemplo de brasileiro citado nesse e-mail, meus sentimentos amigo, continue fazendo sua parte, e que um dia pessoas de bem assumam o controle do país novamente.
Aí sim, teremos todas as chances de ser a maior potência do planeta.
Afinal aqui não tem terremoto, tsunami nem furacão.
Temos petróleo, álcool, bio-diesel, e sem dúvida nenhuma o mais importante: Água doce!

Só falta boa vontade, será que é tão difícil assim?

Dois ônibus da mesma empresa colidem no Centro de Natal

Adriano Abreu
Ônibus bateram no cruzamento da Rio Branco com a Ulisses Caldas

Dois ônibus da empresa Santa Maria colidiram no início da manhã de hoje e provocaram um longo congestionamento na avenida Rio Branco, na Cidade Alta, centro de Natal.
Isso, porque o dois ônibus interditaram quase que totalmente as quatro faixas da avenida, dificultando a passagem de veículos, sobretudo, de outros ônibus.

O trânsito esteve parcialmente fechado no sentido Centro-Ribeira, formando filas de carros na avenida Rio Branco, devido ao intenso trânsito da manhã.

Segundo o condutor do ônibus de placas MZC-3631 (da linha 54, Ponta Negra-Ribeira), ele tinha acabado de sair de parada na avenida Rio Branco, quando viu o semáforo aberto. "Sai em certa velocidade e quando vi o outro ônibus já estava em cima. Tentei parar, mas ainda bateu de frente do coletivo, quebrando o para-brisa", afirmou ele. O outro ônibus, placas MOH-9330, vinha na rua Ulisses Caldas e teria passado no sinal amarelo.

O acidente ocorreu por volta das 7h e os coletivos ficaram cerca de 30 minutos interrompendo o cruzamento das avenidas.

Fonte: TRIBUNA DO NORTE

Brasil faz um amistoso “das arábias”



Abu Dhabi (Emirados Árabes Unidos) - Gazeta Press - A Seleção Brasileira faz seu segundo amistoso sob o comando do técnico Mano Menezes nesta quinta-feira, às 14h (de Brasília), quando enfrenta o Irã, pela primeira vez na história, no Zayed Sport City, em Abu Dhabi, nos Emirados Árabes Unidos. O novo treinador estreou comandando o time canarinho na vitória de 2 a 0 sobre os Estados Unidos, em agosto. Já no mês passado, sem opções de adversário, o treinador optou por promover uma semana apenas de treinamentos.

Na próxima segunda-feira os brasileiros enfrentam os ucranianos. Mano Menezes acredita que os jogos contra iranianos e ucranianos possam servir como testes importantes para preparar a Seleção Brasileira para o primeiro grande desafio do novo treinador, programado para novembro, quando acontecerá um amistoso diante da Argentina, no Catar. “Nós vamos enfrentar agora adversários de nível mediano no futebol mundial, mas que possuem qualidade e que poderão servir como testes importantes para o confronto diante da Argentina. Temos que tirar o máximo de proveito no campo das observações nesses dois confrontos, pois tem muita coisa para ser analisada ainda”, afirmou o treinador.

Para os jogadores da Seleção Brasileira os amistosos, independentemente de adversários, são grandes oportunidades de se mostrar serviço para o treinador. Novatos como o goleiro Neto, do Atlético-PR, o lateral direito Mariano, do Fluminense, o volante Elias, do Corinthians, e o meia Giuliano, do Internacional, jamais foram relacionados por Mano Menezes. “Espero que essa seja uma oportunidade inicial, a primeira de muitas com a camisa da Seleção Brasileira. Estou realizando um dos sonhos da maioria dos jogadores de futebol e por isso mesmo espero aproveitar esses amistosos da melhor maneira possível. Se tiver a oportunidade de entrar em campo irei me dedicar ao máximo para seguir no grupo”, disse Mano.

Para este compromisso Mano deverá manter a base do amistoso contra os Estados Unidos. Porém a expectativa é que ele faça, pelo menos, cinco substituições ao longo deste primeiro confronto. Já o Irã passa por um processo de reformulação em sua seleção, conduzido pelo técnico Afshin Ghotbi, que terá a missão de mesclar jovens jogadores com atletas de grande experiência internacional. “Nós estamos reconstruindo o futebol iraniano, que sofreu muito por ter ficado de fora da Copa do Mundo da África do Sul. Por isso mesmo estamos conduzindo um processo visando à disputa do Mundial que será realizado no Brasil. Um amistoso contra a Seleção Brasileira sempre permite fazer muitas observações, principalmente na maneira de se comportar dos atletas”, disse Afshin Ghotbi.

Atualmente a seleção do Irã é a 57º colocada no Ranking da Fifa. No fim de semana o país acabou decepcionando e perdeu o Campeonato da Ásia Ocidental ao ser derrotado, na final, pelo Kwait por 2 a 1.

Greve dos bancários fecha 7.723 agências no país


A Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf) contabilizou nesta quarta-feira (6) 7.723 agências bancárias de portas fechadas em todo o país. Isso mostra que a greve dos bancários ganha fôlego nos 26 estados e no Distrito Federal.

Há oito dias parados, em repúdio à proposta da Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) de reajuste salarial de 4,29% - índice que repõe a inflação passada -, a categoria realizou assembleias nesta quarta-feira em todo o país. Os bancários decidiram pela continuidade da paralisação, enquanto os banqueiros não oferecerem ganhos reais.

De acordo com o presidente da Contraf, Carlos Cordeiro, o movimento tem crescido a cada dia, em razão da “crescente indignação dos bancários com o desrespeito dos bancos”, que lucraram mais de R$ 25 bilhões no primeiro semestre e só oferecem 4,29% de reajuste, sem sequer considerar as demais reivindicações da categoria.

O movimento dos bancários começou com o fechamento de 3.864 agências. Hoje, esse número passou para 7.723 unidades de portas fechadas. A greve já é a maior da categoria nos últimos 20 anos. O Comando Nacional dos Bancários informa que a mobilização é por tempo indeterminado.

* Fonte: Agência Brasil.

Partido Verde fará convenção para definir apoio no 2º turno



ELEIÇÕES 2010 - 2° TURNO

São Paulo (AE) – O PV anunciou ontem que fará no dia 17, em São Paulo, a convenção para definir a posição do partido no segundo turno da eleição presidencial. Participarão dessa plenária aproximadamente 90 pessoas, entre eles 5 representantes do Movimento Marina Silva, 5 colaboradores do plano de governo, 5 delegados religiosos – integrantes de entidades cristãs -, candidatos da legenda que disputaram os pleitos estaduais, a executiva nacional da sigla e a coordenação da campanha da senadora Marina Silva (PV-AC), além de deputados eleitos da agremiação.

Marina Silva admite que pode haver divergências na definição sobre qual candidato o PV deve apoiar no segundo turnoO presidente do Diretório Estadual do partido em São Paulo, Maurício Brusadin, adiantou ontem que a postura da minoria da legenda será respeitada e que cada militante terá o direito de ter um ponto de vista contrário ao que será definido. “Isso vale também para Marina”, afirmou Brusadin. Amanhã (07), um grupo formado por 21 cooperadores da campanha se reunirá para definir os dez itens da plataforma dela que serão sugeridos aos candidatos a presidente Dilma Rousseff (PT) e José Serra (PSDB)

“Vamos ver o quanto eles se comprometem com essas causas, mas também não vamos lidar com isso com a faca na garganta (de Dilma e Serra).” O presidente do Diretório Estadual do PV de São Paulo ressaltou que a negociação com petistas e tucanos será baseada no programa a ser apresentado a eles e que está fora de cogitação a discussão de cargos. “Não nos interessa ocupar cargo”, avisou.

Brusadin admitiu que existem divergências na sigla sobre qual rumo tomar. “A campanha de Marina é uma diversidade. É difícil dizer que tenha uma tendência” De acordo com ele, os entendimentos não podem partir do princípio de acordos da agremiação com o PSDB ou o PT feitos no passado porque o resultado das urnas deu uma nova situação política ao PV. “Hoje, o PV é outro partido. São 20 milhões de votos”, enfatizou.

Ontem, Marina Silva admitiu que pode haver divergências no PV sobre o apoio neste novo estágio do pleito, mas que se submeterá ao processo de debate. “Não tem como imaginar que se tenha um processo único, temos posições diversificadas. Não posso dizer que vai ser uma posição única”, disse. Marina pediu que o partido “não se apequene no discurso da conveniência”.

A senadora voltou a repetir o discurso de campanha de que tanto PT quanto PSDB não foram capazes de compreender os “desafios da sustentabilidade” e que os candidatos dos dois partidos a presidente são gerentes e não “estrategistas”.

Comando da campanha passa por mudanças no RN

A campanha do presidenciável José Serra no Rio Grande do Norte terá mudança de comando no segundo turno. O deputado federal Rogério Marinho, presidente estadual do PSDB derrotado nas urnas na disputa para reeleição, deixa a coordenação. O trabalho passa a ser do senador reeleito José Agripino Maia (DEM) e da governadora eleita Rosalba Ciarlini (DEM).

“O comando será de José Agripino e Rosalba. Eu continuarei engajado na campanha, reunindo a militância, mas o comando não será meu”, disse o deputado federal Rogério Marinho.

No Estado, a coordenação da campanha da ex-ministra Dilma Rousseff continuará com a deputada federal Fátima Bezerra (PT), que foi reeleita como a parlamentar mais votada do Estado potiguar. Foi ela mesma que esteve à frente do trabalho no primeiro turno.

No entanto, o palanque da presidenciável do PT no Rio Grande do Norte estará rachado e reflexo do pleito estadual. Dilma Rousseff não conseguirá colocar no mesmo palanque o senador reeleito Garibaldi Alves Filho (PMDB), a ex-governadora Wilma de Faria (PSB) e o ex-vereador Hugo Manso (PT). Esses dois últimos foram derrotados por Garibaldi Filho na disputa para o Senado e durante o primeiro turno trocaram acusações públicas com o candidato do PMDB.

Fonte: TRIBUNA DO NORTE